Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

Você sabe como funciona o seguro rural faturamento?

A apólice garante todos os possíveis prejuízos de uma safra? Qual a diferença em relação ao seguro que cobre somente danos do clima? Existe variação de preço? Para tirar as dúvidas que podem surgir no momento da escolha do seguro ideal para a lavoura, o diretor geral de Habitacional e Rural do GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE, Wady Cury, explica como funciona o produto, as coberturas disponíveis e como obter o máximo de benefícios oferecidos.

Destinado para as culturas de milho, soja e café, em todo o território nacional, o seguro tem por objetivo indenizar o produtor caso a produção não obtenha o faturamento garantido pela apólice. “O grande diferencial é que o cliente poderá contar com a proteção securitária não somente diante de perdas de produção por intempéries climáticas, mas também quando houver variação de preço que prejudique o faturamento a ser obtido com a lavoura”, esclarece Cury.

A proteção tem se mostrado cada vez mais importante para a sustentabilidade no campo. Somente em 2016/2017, 2 mil produtores receberam indenização de R$ 190 milhões, em decorrência de mudanças de preço do mercado futuro da BM&F e de impactos do clima, como vendavais, secas e fortes chuvas.

Então qual seria a proteção oferecida pela apólice? Esta modalidade de seguro garante a indenização sempre que houver perda de produtividade decorrente de eventos climáticos como seca, geada, chuva, granizo, incêndio ou perda financeira causada pela redução do preço da commoditie fazendo com que o faturamento obtido com a produção seja inferior ao faturamento garantido pelo seguro.

Outro questionamento comum é sobre custo do seguro. “Por ter uma cobertura maior, as taxas podem ser diferenciadas, mas, ao calcular os riscos cobertos, o cliente tende a optar pelo produto”, complementa Cury.

O BB Seguro Agrícola Faturamento que, em 2011, correspondia a 5% das vendas de apólices agrícolas do GRUPO, hoje representa 30% dos contratos comercializados da carteira. A companhia é líder no segmento de rural, com 76,6% de participação de mercado.

Alerta para os produtores - O GRUPO chama a atenção para a importância da realização do endosso dos contratos adquiridos entre janeiro e julho de 2017. As apólices das culturas de milho e soja deste período devem atualizar o preço previsto, de acordo com as expectativas do mercado futuro da BM&F. A alteração pode ser realizada até o dia 30 de novembro.

Imprensa:
Enviar matéria
Data de Publicação: 04/12/2017 às 16:20hs
Fonte: CDN Comunicação
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio © Copyright 2013 Portal do Agronegócio. Desenvolvido por: