Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

Taxa de juros para financiar armazéns ficou acima da reivindicada por Mato Grosso

O Plano Agrícola e Pecuário (PAP) 2018/19 com R$ 194,3 bilhões disponíveis a partir do próximo dia 1º para financiar a produção agropecuária anunciado, recentemente, pelo governo federal, atende parte das prioridades do setor produtivo rural mato-grossense. “Não contempla todas as reivindicações do setor, porém a queda na taxa de juros dos investimentos para as linhas que solicitamos prioritárias como o Plano de Construção de Armazéns (PCA), Programa ABC e Inovagro (Investimentos necessários à incorporação tecnológica nas propriedades rurais) foram parcialmente atendidas. Nossa preocupação estava em trazer a diferenciação de taxa de juros para produtores que querem construir estruturas menores, o que atende a maioria dos produtores do estado de Mato Grosso”, avaliou a a analista de Agricultura da Famato Karine Machado.

As reivindicações do setor produtivo de Mato Grosso foram encaminhadas pelo Fórum Agro MT diretamente à secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) e também à Confederação Nacional da Agricultura (CNA) quem também apoiou as propostas do Estado e auxiliou com as negociações junto ao ministério. Para a analista, a taxa de juros de 5,25% concedida para financiamento de construção de armazéns com capacidade de até 6 mil toneladas nas propriedades dos pequenos e médios produtores rurais é um dos principais pontos de destaque. “Nós pedimos um diferencial dentro do PCA para viabilizar a melhora da logística de armazenagem de pequenos e médios produtores. A taxa solicitada foi de 4,5% e, mesmo a taxa anunciada tendo ficado 0,75%, já vemos como um bom começo. Atendendo grande parte dos produtores rurais aqui de Mato Grosso”, destacou Karine.

No geral, a queda dos juros das principais linhas de crédito do PAP foi de 1,5 ponto percentual. Os produtores rurais mato-grossense não têm muito acesso à subvenção do Seguro Rural por conta da época em que os financiamentos são realizados, mas, mesmo assim, a ferramenta é considerada importante para a mitigação dos riscos, acrescenta a Famato.

Karine lamenta o orçamento modesto oferecido para atender o Programa de Subvenção ao Seguro Rural (PSR). Já em relação ao orçamento para o apoio à comercialização, caso seja necessária a intervenção do governo afim de garantir a Política de Preço mínimo (PGPM), principalmente do milho em Mato Grosso, foi importantíssimo o anúncio de um volume de recursos considerável. “A garantia nos recursos de apoio à comercialização é importante para o setor, porque isso baliza os preços de mercado”, esclareceu Karine.

Imprensa:
Enviar matéria
Data de Publicação: 27/06/2018 às 17:40hs
Fonte: Aassessoria da Famato
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio © Copyright 2013 Portal do Agronegócio. Desenvolvido por: