Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

Soja opera com leves altas nesta 6ª feira em Chicago e se posiciona antes do USDA da próxima semana

Nesta sexta-feira (8), os futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago operam com estabilidade. Por volta de 9h15 (horário de Brasília), as cotações subiam pouco mais de 3 pontos entre os principais vencimentos, com o novembro/17 - referência para a safra americana e para os negócios nesse momento - valia US$ 9,72 por bushel.

O mercado, nesta última sessão da semana, já começa a se ajustar à espera do novo boletim mensal de oferta e demanda que o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) traz na próxima terça-feira (12). Ao mesmo tempo, os traders também mantêm sua cautela antes da chegada de novas informações sobre o furacão Irma, que pode chegar ao país neste final de semana.

A rota e a intensidade do furacão ao chegar na costa norte-americana ainda são incertas, porém, já causam muitas especulações, principalmente depois dos estragos causados pelo Harvey, que causou danos bastante severos, principalmente no estado do Texas.

Ao mesmo tempo, o mercado se mostra atento ainda aos números das vendas semanais para exportação que serão reportados pelo USDA hoje, especialmente neste momento em que as informações de demanda têm tido um peso grande na formação das cotações, além de virem confirmando sua força e crescimento neste momento.

Veja como fechou o mercado nesta quinta-feira:

Dólar mais fraco faz a soja virar para o negativo na Bolsa de Chicago nesta 5ª feira (7)

Os indicadores que os analistas apontaram para a leve soja da alta nesta quinta (7) na Bolsa de Chicago (CBOT) não se mantiveram em cena ao final do pregão e a oleaginosa virou para o negativo, mas próxima da estabilidade.

O contrato deste mês perdeu 1,2 ponto, com o bushel em US$ 9,63, e o novembro com recuo de 2,2 pontos, fechado em US$ 9,68. O janeiro também reflui 2,2 pontos, cotado a US$ 9,78.

A demanda da China e México reportadas pelo USDA, mais a possível escapada do furacão Irma depois de deixar a Flórida, para áreas do Delta, deram lugar, na perspectiva dos operadores, a um dólar fraco, que ditou o fechamento da sessão.

Cory Bratland, negociante da Kluis Commodities, opinou que o mercado de soja está tentando manter-se com demanda e ajuda em dólares, o que não aconteceu neste feriado no Brasil.

Imprensa:
Enviar matéria
Data de Publicação: 08/09/2017 às 10:45hs
Fonte: Notícias Agrícolas
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio © Copyright 2013 Portal do Agronegócio. Desenvolvido por: