Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

Soja: Mercado inicia semana com estabilidade em Chicago à espera dos novos números do USDA

A semana é de novo relatório mensal de oferta e demanda do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) e, à espera dos novos números, o mercado da soja trabalha com estabilidade na manhã desta segunda-feira (11) na Bolsa de Chicago. As cotações, por volta de 8h10 (horário de Brasília), subiam pouco mais de 1 ponto, com o novembro/17 sendo negociado a US$ 9,63 por bushel.

"O mercado de grãos busca se posicionar antes do USDA desta terça-feira. A produção é o assunto mais especulado para este boletim, porém, alguns acres já colhidos poderiam ter um impacto considerável no mercado, além dos números dos estoques finais", explicam analistas da consultoria internacional Allendale.

Há expectativas no mercado que indicam uma redução de produtividade da soja em relação ao reporte de agosto, porém, os números ainda causam muitas divergências entre as casas. Para a Allendale, por exemplo, o rendimento da oleaginosa pode vir em 48,8 bushels por acre - em uma faixa de 49,8 a 47,1 - contra 49,4 do mês passado.

"Aqui fica a grande pergunta, que deve estar pesando na cabeça e na mente de muitos operadores: vai o USDA corrigir e reduzir a safra? Eu, particularmente, acho que na soja não, mesmo sem as chuvas necessárias que frisamos para conclusão da safra", diz o diretor da Labhoro Corretora, Ginaldo Sousa.

Paralelamente, os traders acompanham também a movimentação do furacão Irma, que chegou aos Estados Unidos pelo estado da Flórida neste final de semana e pode ir mais adiante, chegando, possivelmente, ao Alabama e à Georgia. Apesar disso, o fenômeno perdeu força e, felizmente, foi rebaixado da categoria 5 para 2.

O impacto sobre o andamento dos preços das softcommodities, porém, pode ser mais agressivo nestes próximos dias, principalmente no suco de laranja. A Flórida, afinal, é o maior estado produtor da fruta nos EUA.

Veja como fechou o mercado na última sexta-feira:

Clima e demanda chinesa impedem quedas mais fortes da soja em Chicago

Mercado técnico com operadores embolsando lucros e se posicionando para relatório do USDA da próxima terça-feira (12)

As cotações da soja na Bolsa de Chicago (CME) encerraram o pregão desta sexta-feira(08) em queda com vencimento setembro fechando a US$ 9,56/bushel e recuo de 6,75 pontos. Novembro encerrou em US$ 9,61/bushel e queda de 7,25 pontos e Janeiro/2018 finalizou em US$ 9,72 com baixa de 6,5 pontos.

Depois de iniciar o dia em alta, as cotações mudaram de lado com movimentações técnicas registradas ao longo da sessão. De acordo com a Granoeste Corretora, de Cascavel-PR , investidores aproveitaram para vender posições após as altas que vinham sendo registradas desde final de agosto e também, muitos buscaram se posicionar para o relatório de oferta e demanda do USDA que será divulgado na próxima terça-feira (12).

Conheça as expectativas do mercado para o próximo relatório

É possível afirmar que as perdas foram limitadas no pregão desta sexta-feira por fatores como clima e demanda forte pelo produto americano. No que diz respeito ao clima, dois motivos foram considerados importantes pelo mercado: as preocupações com a passagem do furacão Irma pelo Sul do cinturão americano e as temperaturas altas, além de poucas chuvas mais ao norte da região produtora nos EUA.

No quesito demanda, o destaque fica para os dados da Admistração Alfandegária da China que reportaram importações de 8,5 milhões de toneladas de soja em Agosto. Ao todo, em 2017 já são 63,3 milhões de toneladas exportadas e um incremento de 16% em relação ao mesmo período do ano passado.

Além disso, o USDA confirmou a finalização dos embarques da safra 2016/17 em 31 de agosto, com números em linha ao já projetado previamente pelo departamento , num total de 58,5 milhões de toneladas.

O fator preocupante é com o atraso nas vendas da safra nova americana. No total desta temporada foram negociadas 15,4 milhões de toneladas, ante 22,5 milhões de toneladas do mesmo período do ano passado.

Ainda de acordo com a Granoeste, no mercado doméstico, mesmo com os feriados nos EUA e Brasil, a semana teve movimentação melhor do que as verificadas em semanas anteriores.

A sexta-feira (08) foi de alta de 0,97 % nas cotações da soja em Sorriso (MT) com a saca de 60 kg negociada a R$52,00. Já no Oeste da Bahia a soja teve recuo de mais de 2,5% e saca valendo R$58,00.

Imprensa:
Enviar matéria
Data de Publicação: 11/09/2017 às 10:30hs
Fonte: Notícias Agrícolas
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio © Copyright 2013 Portal do Agronegócio. Desenvolvido por: