Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

Sebrae e Aurora Alimentos formalizam nova etapa do “Encadeamento Produtivo”, agora em caráter nacional

Considerado sucesso em Santa Catarina, programa agora atende também os Estados do Rio Grande do Sul, Paraná e Mato Grosso do Sul

Surgiu em Santa Catarina, obteve absoluto êxito e, agora, transformou-se em um programa nacional. Essa é a trajetória vitoriosa do “Encadeamento Produtivo Cooperativa Central Aurora Alimentos – Sebrae/SC: suínos, aves e leite”. Convênio conferindo amplitude nacional ao programa foi assinado na manhã desta terça-feira, em Chapecó, pela presidente em exercício do Sebrae Heloísa Guimarães de Menezes e pelo presidente da Aurora Mário Lanznaster em ato que teve a presença das 12 cooperativas agropecuárias filiadas. Agora, além de Santa Catarina, o programa contempla o Rio Grande do Sul, o Paraná e o Mato Grosso do Sul. Serão investidos 11 milhões de reais para a qualificação de 2.634 produtores de 1.744 estabelecimentos rurais nos quatro Estados, nos próximos dois anos.

Participaram da assinatura o presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae/SC Sérgio Medeiros, diretores do Sebrae Santa Catarina Anacleto Ortigara (diretor técnico) e Sérgio Cardoso (administração e finanças) de diretores e dirigentes do Sebrae do Rio Grande do Sul (diretor técnico Airton Pinto Ramos), Paraná (gerente regional sul César Colini) e Mato Grosso do Sul (superintendente Cláudio George Mendonça). Da Cooperativa também participaram o vice-presidente Neivor Canton e o diretor de agropecuária Marcos Antonio Zordan, além dos presidentes das Cooperativas parceiras do projeto em âmbito nacional.

Heloísa Menezes destacou que há mais de 20 anos o Sebrae e a Cooperativa mantêm um profícuo relacionamento para a qualificação dos produtores rurais cooperados, transformando as propriedades em empresas rurais altamente produtivas e competitivas. “O encadeamento produtivo contribuiu para a melhoria de valor, atuando com a cadeia de fornecedores à montante e à jusante”, assinalou. Lembrou que o Sebrae mantém parcerias com empresas de médio e grande porte para trabalhar com seus fornecedores, na maioria micro e pequenas empresas. Elogiou a cadeia produtiva da Aurora que opera com pequenos produtores, obtendo escala e qualidade com a união de esforços da base associada. “A Aurora é a cara do Brasil que deu certo”, festejou.

Através de outras grandes empresas de outros setores da economia (indústria, comércio e serviços), o Encadeamento produtivo está presente em 25 unidades da Federação onde já foram ou estão sendo executados 263 projetos mediante investimentos de 232 milhões de reais. “Isso contribui para eliminar os gargalos de produtividade com impacto altamente positivo na atividade produtiva”, mostra a presidente.

O vice-presidente da Aurora Neivor Canton destacou que os 20 anos de relacionamento entre a Aurora e o Sebrae foram essenciais para manter produtivas e competitivas as famílias rurais que formam a base produtiva da Cooperativa Central. “Houve muita evolução nessas duas décadas e graças a isso nos mantivemos no mercado nacional e internacional”, reconheceu, ao anotar que as regiões onde atua a Aurora concentram a maior densidade populacional rural do Brasil. Para Canton, a expansão aos demais Estados é fundamental para elevar ainda mais a competitividade da cadeia produtiva do agronegócio.

O “Encadeamento Produtivo Aurora Alimentos – Sebrae: suínos, aves e leite” é desenvolvido em Santa Catarina com as parcerias do Senar/SC, Sescoop/SC, Sicoob, Fundação Aury Luiz Bodanese, Cooperalfa, Itaipu, Auriverde, Coolacer, Copérdia, Caslo, Cooper A1, Coopervil e Cooper Campos. No Rio Grande do Sul, já conta com a parceria da Alfa, A1 e Copérdia, e os parceiros do SICREDI/RS. No Paraná, podem participar as cooperativas Alfa, Copérdia, Camisc, Cocari e, no Mato Grosso da Sul, Coasgo e Alfa. No Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul, o programa também ocorrerá por meio das parcerias dos Estados e sob a coordenação das unidades federativas do Sistema Sebrae.

O Encadeamento Produtivo do agronegócio tem por objetivo contribuir com a melhoria dos índices de produtividade e competitividade, promovendo a inserção de pequenos negócios em cadeias de valor de grandes empresas por meio de relacionamentos cooperativos. Os ganhos de produtividade, qualidade, entre outros foram aspectos que motivaram a expansão para o Paraná, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul. “A expectativa é muito grande com a nacionalização deste projeto no qual a propriedade rural é vista como uma empresa, levando aos empresários, técnicas de gestão, inteligência em negócios, trabalho em rede, tendo em vista a melhoria do desempenho em toda a cadeia”, destaca Renato Perlingeiro Salles Junior, coordenador do Programa Nacional de Encadeamento Produtivo do Sebrae Nacional.

RESULTADOS

O gerente adjunto da Unidade de Atendimento ao Agronegócio do Sebrae Nacional Gustavo Reis Melo realça que o Sebrae tem orgulho em estar junto com a Aurora Alimentos e demais parceiros no Encadeamento Produtivo porque o projeto apresenta resultados exitosos. “A ideia é levar essa expertise para outros Estados de acordo com o segmento de cada cooperativa. Isso gerará ganhos na cadeia produtiva inteira, pois trabalha também o empreendedorismo no campo.”

Entre os resultados estão o fornecimento de produtos com maior qualidade para o consumidor final. Para 48% dos produtores rurais e das empresas encadeadas houve aumento da renda, embora para 23,3% tenha ocorrido aumento de custos, 87% das empresas estão certificadas e 97% delas fizeram negócios dentro da cadeia. O índice geral de satisfação foi de 90%.

As soluções do Sistema Sebrae que fazem parte do Encadeamento Produtivo contemplam os seguintes programas No Campo Fase I - De Olho na Qualidade, No campo Fase II – Gestão da Qualidade, Times da Excelência, Sustentabilidade Aplicada a Empresas Rurais e consultorias tecnológicas. Os programas de qualidade são desenvolvidos há aproximadamente duas décadas.

“A evolução ao longo deste período é expressiva. O planejamento, a melhoria da gestão, a implantação de novas tecnologias de produção e processos inovadores permitiram a elevação do grau de competitividade das cadeias de suínos, aves, leite e complementares. Isso acontece porque houve incorporação de boas práticas de gestão empresarial no campo e aplicação das tecnologias e desenvolvimento dos padrões necessários para atender as demandas de mercado”, observa o coordenador regional oeste do Sebrae/SC, Enio Albérto Parmeggiani. Segundo ele, a parceria com a Aurora Alimentos proporciona o acesso dos pequenos negócios aos mercados mais competitivos e demonstra oportunidades importantes, além de ser referência para o País.

Imprensa:
Enviar matéria
Data de Publicação: 22/06/2018 às 16:00hs
Fonte: MB Comunicação Empresarial/Organizacional
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio © Copyright 2013 Portal do Agronegócio. Desenvolvido por: