Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

Salmão transgênico é comercializado no Canadá

Pela primeira vez um animal geneticamente modificado é comercializado em mercado aberto. O início das vendas do salmão transgênico no Canadá ocorre após mais de 25 anos de pesquisas e desenvolvimento até a aprovação definitiva pela FDA (Food and Drugs Agency), agência federal americana responsável pela regulamentação de alimentos e medicamentos. As autoridades reguladoras canadenses também consideram o produto seguro para o consumo e o meio ambiente e manifestaram a decisão seis meses depois da aprovação nos EUA, ocorrida em novembro de 2015.

O peixe, uma variedade de salmão do Atlântico (Salmo Salar), foi geneticamente modificado para crescer mais rápido do que outros da espécie, atingindo o tamanho regular para comercialização em metade do tempo, ou seja, cerca de 18 meses.

Os cientistas apresentaram a variedade em 1989. De lá para cá, foram diversos os estudos técnicos desenvolvidos para assegurar sua segurança de forma definitiva e alcançar a liberação comercial. O salmão transgênico recebeu um gene do hormônio do crescimento do salmão Chinook (Oncorhynchus tshawytscha), juntamente a elementos reguladores genéticos de uma terceira espécie, a Faneca do oceano (Zoarces americanus). As modificações genéticas permitem que o salmão produza hormônio do crescimento de forma moderada e contínua.

Ron Stotish, CEO da AquaBounty, empresa americana que comercializa o produto, destaca que o peixe geneticamente modificado é bom para a economia e para o meio ambiente, pois pode ser cultivado perto de áreas metropolitanas em tanques isolados, gerando empregos e evitando longos transportes. Ainda do ponto de vista ambiental, o crescimento acelerado poupa recursos naturais importantes e torna a produção mais sustentável. Segundo o The New York Times, a empresa pretender expandir a venda do produto para outros países, como Argentina, China e o Brasil.

Imprensa:
Enviar matéria
Data de Publicação: 04/09/2017 às 14:20hs
Fonte: Nature
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio © Copyright 2013 Portal do Agronegócio. Desenvolvido por: