Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

SAFRA 2018/19: BB vai destinar R$ 103 bilhões para o crédito rural; PR receberá R$ 13,6 bilhões

O Banco do Brasil (BB) vai destinar R$ 103 bilhões para o financiamento da safra 2018/2019. O valor é 21% maior do que o desembolsado na safra 2017/2018, cerca de R$ 85 bilhões. Desse total, serão repassados R$ 13,6 bilhões ao Paraná, dos quais R$ 11,7 bilhões para custeio e R$ 1,9 bilhão para investimento. O anúncio do Plano Safra do BB foi feito nesta quarta-feira (04/07), em cerimônia na sede da instituição, em Brasília, com a participação do presidente Michel Temer e do ministro da Agricultura, Blairo Maggi. O evento foi transmitido ao vivo, por videoconferência, para 60 cidades brasileiras. Em Curitiba, foi acompanhado no auditório da agência do BB localizada no bairro Rebouças pelo secretário estadual da Agricultura, George Hiraiwa, agricultores e lideranças do setor produtivo, entre os quais o superintendente da Ocepar, Robson Mafioletti, e o gerente técnico da entidade, Flávio Turra.

Principal agente - O Banco do Brasil é o principal agente de financiamento da agricultura brasileira: responde por 60% do crédito disponível para o setor. Neste ano, o governo federal anunciou um total de R$ 194,3 bilhões para o financiamento da safra agrícola 2018/2019.

Peso da agricultura - Segundo o presidente do Banco do Brasil, Paulo Rogério Caffarelli, a agricultura responde por 23% do Produto Interno Bruto (PIB) e por 44% do total das exportações brasileiras, o que deixa clara a vocação do país para o agronegócio. "Estamos trabalhando para dar continuidade a um trabalho que foi feito, lembrando que a safra 2016/2017 foi a maior de todos os tempos. Nós tivemos 238 milhões de toneladas. Esperamos que a safra 2018/2019 possa atingir números bastante semelhantes. Portanto, começamos uma nova safra com muita expectativa, com muita esperança de continuar esse processo de produção", disse.

Área plantada - Nos últimos 25 anos, segundo Caffarelli, a área plantada no país cresceu 65%, mas a produção aumentou 375% no mesmo período. Para se chegar a esses índices, disse Caffarelli, houve um forte investimento em tecnologia, pesquisa e desenvolvimento, bem como um estímulo ao crédito, com participação expressiva do Banco do Brasil.

Imprensa:
Enviar matéria
Data de Publicação: 10/07/2018 às 17:20hs
Fonte: Agência Brasil
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio © Copyright 2013 Portal do Agronegócio. Desenvolvido por: