Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

Preço do açúcar em alta favorece regiões com forte base no setor sucroalcooleiro

O preço do açúcar tem destoado das demais commodities que são relevantes na estrutura produtiva da economia brasileira, o que tem favorecido as regiões que tem forte base no setor sucroalcooleiro, como são os casos das regiões de Ribeirão Preto, Barretos e Araçatuba, por exemplo.

É o que mostra o boletim do Setor Sucroalcooleiro do CEPER/FUNDACE, que traz uma análise do setor sucroalcooleiro nos últimos dez anos e das safras de 2005/06 a 2016/07, sendo esta última baseada nas estimativas divulgadas pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) em dezembro último.

Analisando a evolução dos preços do açúcar e do petróleo entre janeiro de 2007 e janeiro de 2017, nota-se uma queda acentuada do preço do açúcar a partir de meados de 2011, período de aprofundamento da crise internacional. Após atingir um vale, em meados de 2015, o preço do açúcar passou a apresentar uma trajetória de crescimento em decorrência da redução dos estoques internacionais em decorrência de um desbalanceamento entre oferta e demanda.

Na análise traçada pelo CEPER, é possível ver que, com a melhora do preço do açúcar a partir de meados de 2015, começa a haver uma recuperação da área plantada no Brasil em decorrência do crescimento que vem sendo notado no Centro-Sul do País. Após um período de retração, a produção começou a se recuperar, com previsão de safra recorde em 2016/17.

“A tendência é de crescimento também na próxima safra, visto que o preço das demais commodities seguem em baixa e, portanto, com produções menos atrativas em termos de retorno para o produtor”, avalia o pesquisador do Ceper Luciano Nakabashi.

Outras comodities – O Boletim mostra também que outras commodities agrícolas que possuem relevância na economia brasileira também passaram por forte retração de preços a partir de 2013 (milho) e 2014 (soja). Apesar de um esboço de recuperação no preço da soja em meados de 2016, nos últimos meses a tendência tem sido de baixa, enquanto que para o milho, seus preços não apresentaram recuperação, mantendo-se nos níveis mais baixos dos últimos dez anos.

A redução dos preços de várias commodities está relacionada a uma grande expansão da oferta devido aos seus preços elevados por períodos prolongados em um momento em que a demanda não acompanhou o mesmo crescimento devido à crise internacional que tem atingido vários países, incluindo China, principal mercado importador dos produtos brasileiros, e que também vem experimentando retração em sua taxa de crescimento.

“A queda do preço das commodities ajuda a entender a crise pela qual passa a economia brasileira. Porém, fatores internos têm se mostrado mais importante sobre o seu atual desempenho, visto que a retração do PIB tem sido muito maior em relação ao restante dos países da América Latina, países que também dependem fortemente da exportação de commodities”, avalia Nakabashi.

As expectativas, segundo o pesquisador, é que o cenário de déficit entre oferta e demanda se normalize ao longo de 2017, mas com os estoques ainda baixos, mantendo os preços nos patamares atuais ou com pequena elevação.

Ceper – O Centro de Pesquisa em Economia Regional foi criado em 2012 e tem como objetivo desenvolver análises regionais sobre o desempenho econômico e administrativo regional do País. Sua criação reúne a experiência de diversos pesquisadores da FEA-RP (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto) da Universidade de São Paulo em pesquisas relacionadas ao Desenvolvimento Econômico e Social em nível regional, a análise de Conjuntura Econômica, Financeira e Administrativa de municípios e Gestão de Organizações municipais, entre outros. A iniciativa de criação do Centro foi dos pesquisadores Rudinei Toneto Junior, Sérgio Sakurai, Luciano Nakabashi e André Lucirton Costa, todos da FEA-RP/USP. Os Boletins Ceper têm o apoio do Banco Ribeirão Preto, Stéfani Nogueira Incorporação e Construção, São Francisco Clínicas, Citröen Independance e CM Agropecuária e Participações.

Fundace – A Fundação para Pesquisa e Desenvolvimento da Administração, Contabilidade e Economia (Fundace) é uma instituição privada sem fins lucrativos criada em 1995 para facilitar o processo de integração entre a FEA-RP e a comunidade. Oferece cursos de pós-graduação (MBA) e extensão em diversas áreas. Também realiza projetos de pesquisa in company além do levantamento de indicadores econômicos e sociais nacionais regionais.

Imprensa:
Enviar matéria
Data de Publicação: 14/03/2017 às 11:50hs
Fonte: CEPER/FUNDACE
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio © Copyright 2013 Portal do Agronegócio. Desenvolvido por: