Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

Pesquisa reforça eficácia da Poulvac® ST no controle da Salmonella Heidelberg

A equipe técnica da Zoetis, o professor de Medicina Veterinária da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Vladimir Pinheiro do Nascimento, e o laboratório Mercolab, de Cascavel (PR), realizaram juntos uma avaliação de eficácia e segurança da vacina viva Poulvac® ST, da Zoetis, em frangos de corte desafiados com Salmonella Heidelberg (SH). O estudo reforçou a eficácia da Poulvac ST, especialmente no grupo de aves que receberam as duas doses recomendadas pela Zoetis.

“A Salmonella é uma das principais doenças em aves e é responsável por grandes perdas econômicas e riscos relacionados à saúde pública. Por isso, o principal objetivo do estudo foi avaliar a proteção cruzada fornecida pela Poulvac ST no controle da doença, que é muito frequente nas aves de corte”, explica Eduardo Muniz, Gerente de Serviços Técnicos da Zoetis.

Para esse estudo foram utilizadas 80 aves separadas em 4 grupos (T1,T2,T3 e T4) de 20 animais cada. O grupo T1 foi vacinado e desafiado aos 3 dias de idade, o T2 por sua vez não foi vacinado e o desafio ocorreu aos 3 dias de idade também (controle positivo).

As aves do T3 foram vacinadas e receberam o desafio aos 21 dias de idade. O último grupo, T4, não foi vacinado e só recebeu o desafio aos 21 dias de idade (controle positivo).

Nos grupos vacinados, as aves receberam duas doses da Poulvac ST: a primeira no dia do alojamento e a segunda com 14 dias de idade, de acordo com a recomendação da bula. O desafio foi ver o efeito da doença em animais mais precoces e outros mais tardios que já tinham obtido a segunda dose da vacina. A bactéria usada no experimento foi de uma cepa brasileira de campo, o que torna os resultados mais concretos para o produtor.

No final desse estudo, as amostras de fígado e baço foram coletadas para análise quantitativa e qualitativa de SH. A análise mostrou que o grupo T3, que recebeu as duas doses da vacina, foi o que mais apresentou resultados satisfatórios.

“Os estudos mostraram que as vacinas vivas geneticamente modificadas podem ser uma ferramenta útil e segura para controlar SH em aves. A vacinação com Poulvac® ST foi capaz de diminuir parcialmente a carga bacteriana de SH tanto no ceco quanto no fígado e no baço após o desafio oral”, relata o especialista da Zoetis.

“De acordo com os resultados desta pesquisa, a eficácia da proteção cruzada para SH depende de, pelo menos, duas aplicações da vacina, ou seja, as aves devem ser imunizadas o mais rapidamente possível durante os primeiros dias de vida, para que tenham tempo para desenvolver imunidade e receber a segunda dose”, conclui.

A Poulvac ST, vacina viva contra as Salmonella Typhimurium e Salmonella Heildelberg para poedeiras e frangos de corte, ajuda a estimular a imunidade mediada por células e, assim, contribui para o desenvolvimento do sistema imunológico das aves.

Acesse a pesquisa na íntegra: Evaluation of the effectiveness and safety of a genetically modified live vaccine in broilers challenged with Salmonella Heidelberg

Imprensa:
Enviar matéria
Data de Publicação: 19/12/2017 às 12:40hs
Fonte: Zoetis
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio © Copyright 2013 Portal do Agronegócio. Desenvolvido por: