Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

Pecuária adere à Internet das Coisas

Mesmo com a escolha dos melhores animais, a criação é fator essencial para que o rebanho seja composto por animais saudáveis e que vão para o abate com o peso ideal. Ao mesmo tempo, as margens do segmento ficam cada vez mais estreitas, fazendo com que produtividade e corte de gastos sejam palavras de ordem. As novas tecnologias atendem a todas essas questões.

O agribusiness é um dos segmentos mais avançados tecnologicamente do país, o que leva o setor a aderir cada vez mais à automação e à Internet das Coisas (ou IoT, Internet of Things). “A competitividade entre os produtores é cada vez maior. Quem não aderir às novas soluções está condenado a deixar o mercado”, diz o diretor geral da VIA Technologies no Brasil, Ubiratan Resende. Segundo ele, a companhia, líder mundial no desenvolvimento de soluções de plataforma e sistemas embarcados integrados para IoT e automação, tem o país como um de seus principais mercados, por conta dos investimentos do setor.

“O IoT possibilita uma gestão muito mais eficiente dos rebanhos. Hoje, vários fatores podem ser monitorados pelo celular, como o peso dos animais, o tratamento adequado que cada um deve receber, geolocalização, entre outros. Além do ganho de produtividade, as tecnologias permitem uma economia significativa com mão de obra”, diz o executivo.

Resende explica que um sistema de IoT pode servir para o monitoramento de cada animal de um rebanho. Com um microship, que pode ser colocado no brinco, cada individuo passa a ser acompanhado isoladamente. Desta forma, é possível saber seu peso, o que se faz com a instalação de uma balança integrada a um sistema IoT em um ponto de passagem obrigatória. “É possível saber qual animal está ali e o sistema ligado à balança encaminha o peso do indivíduo ao gestor”, diz. “Com isso, é possível, por exemplo, reforçar a ração dos que estão com menos peso e, com sensores instalados nos tratadores, saber o tempo que cada um passou se alimentando”, diz. “Os sistemas IoT possibilitam respostas a quaisquer demandas dos pecuaristas, pois são altamente customizáveis”, acrescenta.

Segundo Resende, os projetos ficam a cargo de desenvolvedores, que, para atender às demandas de pecuaristas, utilizam diferentes tipos de sensores – específicos para o acompanhamento de diversas variáveis – que são conectados à uma gateway, um computador que interliga todos os sistemas. Resende destaca o VIA Artigo 630 como solução ideal para pecuaristas. “Embora atenda a diversos segmentos, é muito adequado para o trabalho no campo, onde há muitas áreas sem cobertura de internet. Diferente das gateways convencionais, o Artigo 630 possui diversos módulos de conexão Wi-Fi. Quando um animal passa num ponto que tenha rede, todas as informações são transmitidas ao gestor”, afirma.

O Artigo 630 foi desenvolvido para operar em ambientes hostis e, como as demais soluções da VIA Technologies, é compatível com quase todos os sistemas e sensores disponíveis no mercado. “A companhia fornece assessoria técnica para o desenvolvimento de soluções IoT para as mais diversas finalidades. Além disso, suas soluções são compatíveis com sistemas e sensores dos mais variados fornecedores”, conclui.

Imprensa:
Enviar matéria
Data de Publicação: 22/03/2018 às 08:00hs
Fonte: Compilance Comunicação
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio © Copyright 2013 Portal do Agronegócio. Desenvolvido por: