Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

Patrocinado: Lona para Tanque Escavado

A Piscicultura é uma técnica milenar, utilizada pelos egípcios em 2500 AC. No Brasil essa cultura teve um grande crescimento nos últimos anos. Seja para os famosos “pesque e pague” como para consumo próprio ou para comercialização, a atividade de criação de peixe no Brasil tem prognóstico de forte tendência no ritmo de expansão. Nosso país tem uma demanda reprimida do produto, cuja carne possui grande concentração de nutrientes, proteínas e vitaminas. Ricos em ômega-3, os peixes são um alimento recomendável para quem busca saúde na mesa.

Para a criação de peixes (como a tilápia ou o tambaqui), é necessária a construção de um bom tanque. Tanques são geralmente construídos em forma retangular, sendo possível também a implantação de tanques em formato circular.

Uma das etapas fundamentais na construção do tanque para peixes é a escolha do sistema de impermeabilização, que pode ser feita em Geomembrana e também em Lona Plásticas de PEBD de qualidade - cujo o custo x benefício é muito interessante para o produtor pois o preço chega a ser até 1/3 do valor cobrado pelas geomembranas.

As etapas para construção do Tanque para Piscicultura devem ser as seguintes:

- Limpeza do Terreno
- Retirada da Vegetação
- Decapagem (retirada de 20 a 30 cm superficiais)
- Terraplanagem dos Taludes
- Nivelamento de Fundo à declividade ideal
- Construção do Sistema de Drenagem
- Construção do Sistema de Abastecimento
- Proteção do Talude

O tanque para piscicultura é uma estrutura que pode ser parcialmente escavada ou totalmente elevada no terreno para possibilitar o escoamento total de água.

Deve apresentar entrada e saída de água independente, em extremidade oposta e fundo com declividade – 1 metro na parte rasa e até 2 metros na parte profunda, permitindo o completo escoamento do tanque de peixe. O fundo deve ser regular como forma de evitar a formação de poças. É preferível estruturar a piscicultura de forma a abastecer viveiros por gravidade, o que diminui os custos operacionais com bombeamento.

Os tanques de peixes, sempre que possível, deverão apresentar a forma retangular e proporção 1x4 em largura e comprimento e devem ter profundidade média de 1,5 metro de lâmina de água, respeitando a declividade necessária para esvaziamento do viveiro. Contudo outros formatos podem ser utilizados para aproveitar a topografia do terreno.

Em relação aos taludes, estes devem apresentar proporção 3x a base por 1x a altura na borda interna do viveiro, e 2x a base para 1x a altura na borda externa. Um talude na proporção 3x1 significa que para cada metro de altura o talude avança 3 metros no comprimento. A largura da crista deve ser de pelo menos 2 a 3 metros (quando não houver a necessidade de trânsito de veículos) ou de 5 metros (quando houver trânsito).

Adicionalmente, atenção especial deve ser dada à proteção dos taludes com grama para evitar a erosão. A utilização de cobertura vegetal é recomendada nas bordas do tanque, e em locais com muito vento recomenda-se também o enrocamento – que é a proteção do talude na região de interface da água com a terra com a lona plástica.

Em locais com declividade acentuada, devem ser construídos terraços para evitar que águas de enxurradas invadam a piscicultura. Além da estrutura do viveiro propriamente dita, deve ser dada atenção ao sistema de abastecimento e drenagem. A entrada de água deve ser feita por canais de abastecimento a céu aberto ou por tubulação subterrânea em PVC ou PEAD. O local onde ocorre a queda d´água deve ser protegido evitando a erosão.

Para a drenagem de viveiros também são utilizados canos de PVC ou PEAD que devem ser posicionados na região mais profunda do viveiro, permitindo a drenagem total. O sistema deve drenar a água do fundo do tanque, que é de qualidade inferior – para isso podem ser utilizados sistemas de Caximbos que apresentam com vantagem menor custo e são utilizados em viveiros de pequeno porte OU Monges que possuem maior durabilidade e são utilizados em grandes tanques.

O sistema de Caximbo pode se posicionado internamente ou externo ao viveiro. Em relação ao diâmetro das tubulações utilizadas nos sistemas de abastecimento e drenagem, estas variam de acordo com o tamanho da estrutura de cultivo ou da velocidade que o produtor vai necessitar abastecer ou esvaziar o viveiro. Isto está relacionado ao planejamento de produção para atender o mercado e as atividades da propriedade como um todo.

Com o sistema pronto, aplica-se a Lona Plástica revestindo o tanque de forma a impermeabilizar o sistema. Um sistema bem vedado com materiais de qualidade garantem uma vida útil de 2 anos ou mais antes que o material plástico do revestimento deva ser substituído.

Um dos materiais recomendados para tal finalidade é a Lona para Silagem Dupla Face Preto e Branca. A lona para silagem é um material de alta qualidade, pois se trata de um processo que exige um material bastante resistente. A técnica que envolve a lona para silo demanda que o polietileno aditivado na composição do filme para que o mesmo seja castigado pelo sol na parte superior e também sofra a fermentação na parte inferior. Desse modo é um material altamente recomendado para utilização nos tanques – mesmo porque a incidência solar é menor - não é direta por conta da lâmina d´água.

Julivan Arantes da Silva é sócio da PAPERPLAST – Loja Online que faz venda de LONAS PLÁSTICAS (Lonas Pretas, Lonas Dupla Face, Filme Mulching, Lonas Reforçadas, Filmes para Estufa), Filme Stretch e Material de Embalagem.

Imprensa:
Enviar matéria
Data de Publicação: 16/04/2018 às 17:05hs
Fonte: PAPERPLAST
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio © Copyright 2013 Portal do Agronegócio. Desenvolvido por: