Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

Novos Horizontes Arroz, da Dow AgroSciences, é a plataforma de transferência de tecnologia para clientes do RS e SC

Transferir e compartilhar conhecimento técnico é a forma como a Dow AgroSciences acredita que ajudará a cadeia produtiva da cultura do arroz a manter o negócio sustentável. Por isso, a empresa acaba de reunir distribuidores e revendedores do Rio Grande do Sul e Santa Catarina para o treinamento mais especializado em manejo de doenças e plantas daninhas na cultura do arroz, o Novos Horizontes.

A edição, promovida de 08 a 10 de março, em Cachoeirinha (RS), foi sediada na Estação Experimental do Arroz (EEA). Com o apoio dos principais consultores da região, Valmir Menezes, Miro Schmidt, Guilherme Thom, foram trabalhados os campos demonstrativos de cultivares IRGA e as sementes regionais Guri Inta CL e Irga 424 CL, o que otimizou ainda mais o aprendizado.

Para a Dow AgroSciences é importante que companhia e rede de distribuição estejam unidas com o propósito de auxiliar o produtor para que ele tenha cada vez mais disponíveis ferramentas que o ajudarão a extrair não só os melhores resultados do negócio, como rentabilidade e produtividade, como também garantir grãos com melhor qualidade.

Doenças como o brusone têm sido um grande desafio para os orizicultores. A cada ano, este fungo vem comprometendo significativamente a produtividade do grão na região. A matocompetição da lavoura e o capim-arroz também são outros grandes pesadelos enfrentados pelos produtores gaúchos. “Doenças e plantas daninhas afetam a produtividade e a qualidade dos grãos. Uma pesquisa feita pela companhia aponta que em uma lavoura de arroz, quando 15% das panículas são afetadas por algum tipo de doença, o orizicultor chega a perder cerca de 30 sacas por hectare”, conta Rafael.

O uso de fungicidas e herbicidas são fortes aliados quando se deseja obter qualidade de grão e aumentar a produtividade. "É importante que o produtor saiba que o controle do capim-arroz, por exemplo, está diretamente ligado à questão da aplicação do herbicida no momento inicial de desenvolvimento da planta, associado a um bom manejo de irrigação", complementa Bolsson.

A Dow AgroSciences atua em dois segmentos na cultura do arroz, onde é líder na oferta de graminicidas seletivos e fungicidas. A companhia oferece produtos fundamentais para melhorar a performance da colheita.

Em seu portfólio, a Dow AgroSciences apresenta soluções para uso pré e pós emergente, que se combinadas de forma correta, contribuem para proteger o cultivo:

Herbicidas

Ricer - Herbicida de ação pré e pós emergente, alto nível de seletividade para a cultura do arroz, amplo espectro de controle de plantas daninhas de folhas estreitas, folhas largas e ciperáceas.

Clincher - Herbicida pós emergente sistêmico, graminicida de amplo espectro e excelente performance no controle de Capim-arroz resistente a ALS, 100% seletivo, pode ser aplicado em arroz irrigado e arroz de terras altas. É o principal produto e ferramenta para o controle do capim-arroz resistente, problema que vem afetando muito os produtores de arroz.

Goal - Herbicida pré-emergente não sistêmico, indicado para o controle de plantas daninhas gramíneas e de folhas largas, recomendado para aplicações 20 a 30 dias antes da semeadura.

Fungicidas

Todos os Kits de fungicidas possuem Bim na composição, que é o produto padrão mundial para o controle de brusone.

Kits Duo e Trio Dinâmico - Focados em variedades mais suscetíveis a brusone.

Kits Duo e Trio Manchas - Focados em variedades mais suscetíveis a manchas

Imprensa:
Enviar matéria
Data de Publicação: 16/03/2017 às 15:40hs
Fonte: Dow AgroSciences
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio © Copyright 2013 Portal do Agronegócio. Desenvolvido por: