Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

Novo presidente do laticínio Cemil quer elevar a produção

Há dois meses à frente da empresa em Patos de Minas, na região do Alto Paranaíba – considerada uma das mais importantes de Minas Gerais –, o dirigente fala como pretende pautar sua gestão à frente da Cemil: “Estou chegando agora e pretendo fazer uma análise e ver oportunidades, mas adiantamos que a Cemil pauta pela segurança alimentar dos nossos consumidores, e, para isso sempre investiremos para fidelizarmos nossos clientes”.

Com 25 milhões de litros de leite por mês em produtos acabados processados pela Cemil, Vasco diz que está trabalhando para aumentar esse volume. Atualmente, a captação de leite diária é de 830 mil litros de 7.000 cooperados.

Ao longo dos últimos anos, o investimento feito pela Cemil para a ampliação da produção foi de mais de R$ 150 milhões. Com uma fábrica em Patos de Minas numa área de 200 mil metros quadrados e presença em 19 Estados, por enquanto a Cemil não planeja ter uma segunda fábrica, mas Vasco informa que a empresa está aberta a oportunidades.

Com mais de 50 skus (tipos de produtos) na cartela, Vasco conta que o laticínio está sempre analisando lançamentos e tendências. “Teremos novidades muito em breve”, diz Vasco, sem adiantar detalhes. Além disso, o executivo está contratando pesquisas para analisar melhor em qual produto a Cemil não está e planeja ter presença nos próximos anos.

Num momento em que diversos laticínios têm se aliado a parceiros internacionais para ter um crescimento mais rápido, Vasco diz que essa é uma questão muito estratégica. “Nós acreditamos muito no mercado nacional e queremos crescer”, analisa o dirigente.

Faturamento e vagas. Com R$ 460 milhões de faturamento registrados por ano, a Cemil tem 700 colaboradores, além de terceirizados. Novas contratações estão no radar da cooperativa. “Sim, depende das oportunidades”, confirma Vasco.

Com um mercado atual desafiador tanto para o leite como para outras commodities, isso fez a Cemil rever estratégias? Vasco responde: “É estratégico, portanto, estamos analisando o mercado e temos condições para crescer com muita qualidade e inovação”.

Depois da fase mais aguda da crise no país, o que acabou refletindo no consumo e no preço do leite, o presidente da Cemil está com boas expectativas no Estado que é o maior produtor de leite do país. “A expectativa é que o mercado volte a crescer e atinja os patamares anteriores valorizando o produtor e fixando-o no campo com uma renda melhor”, acredita o executivo.

Quanto ao interesse no mercado internacional para comercialização do leite, Vasco avalia: “De tiver oportunidade temos interesse”.

Cooperativa acredita no esporte com patrocínios

A Cooperativa Central Mineira de Laticínios (Cemil) tem mantido os investimentos e acreditado em clubes mineiros. Além do Galo Futebol Americano – uma das modalidades apoiadas – a Cemil está patrocinando os clubes Cruzeiro, Atlético e América. Sobre cifras, o presidente da Cemil, Vasco Praça Filho, responde que o investimento da cooperativa é estratégico.

A respeito da importância de ter a marca associada a times, Vasco diz que “esporte é saúde, leite é saúde, e futebol é paixão nacional”.

Histórico. Nascido em Brasília, Vasco é graduado em zootecnia e, desde 1986, trabalha como produtor de leite. Ele também é vice-presidente do Núcleo dos Criadores de Cavalo Campolina do Brasil Central e é diretor-presidente da Coopervap (Cooperativa Agropecuária do Vale do Paracatu).

Em 2004, Vasco se elegeu prefeito de Paracatu, na região Noroeste de Minas, sendo reeleito em 2008. Em 2017, também assumiu a presidência da Fecoagro Leite Minas – Federação das Cooperativas Agropecuárias de Leite de Minas Gerais.

Imprensa:
Enviar matéria
Data de Publicação: 19/06/2018 às 14:40hs
Fonte: O Tempo
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio © Copyright 2013 Portal do Agronegócio. Desenvolvido por: