Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

Matsuda apresenta quatro variedades de sementes de pastagem

Após 13 anos de pesquisas, chega ao mercado quatro novas variedades de sementes de pastagem, cada uma com características específicas para atender diferentes demandas. As variedades de forrageiras foram apresentadas pelo Grupo Matsuda para pecuaristas e profissionais da área, durante evento realizado na unidade industrial de Cuiabá, Mato Grosso. Na oportunidade, os participantes também conheceram o programa Desempenho Máximo Matsuda.

As sementes foram desenvolvidas com base em pesquisas e passaram por rigorosos testes antes de chegarem ao mercado. Todas as sementes possuem uma característica exclusiva que é a incrustação para elevar a pureza da semente. A partir de uma tecnologia holandesa, as sementes passam por um processo de limpeza e depois de escarificação química, tratamento com fungicida e polímero com incrustação.

As quatro variedades que chegam ao mercado são MG7 – Tupã, MG11 – Tijuca, MG12 – Paredão e MG13 – Braúna.

O diretor da Matsuda Cuiabá, Ricardo Mitsunaga, explica que o desafio é transformar os pecuaristas em produtores de pasto. Segundo Mitsunaga, quando se investe em pasto com uso de tecnologia, o produtor ganha em produtividade e qualidade. “Ainda se desperdiça investimento com sementes de baixa eficiência e pureza. Ao adquirir uma semente de qualidade, com características específicas para aquele solo, se ganha na relação custo benefício”.

De acordo com Ricardo Mitsunaga, grande parte das sementes disponíveis no mercado possui 60% de pureza, ou seja, 40% não é reaproveitado. “A Matsuda trouxe inovação ao elevar a pureza para 100%. Ao invés de comprar uma carreta de sementes, o pecuarista renova a pastagem numa caçamba de caminhonete”, relativiza o diretor.

EXPANSÃO - Os avanços no setor do agronegócio não param, nem mesmo em tempos de recessão econômico. Em Mato Grosso, estado detentor do maior rebanho bovino e um dos principais exportadores do país, o Grupo Matsuda investiu R$ 1 milhão em melhorias no laboratório de análises de materiais e deve dobrar a produção de ração da linha pet.

Atualmente a planta industrial instalada em Cuiabá produz 700 toneladas por dia de suplementos minerais e mais 200 toneladas por dia de ração para pequenos animais, a chamada linha pet. Esta planta é responsável pelo abastecimento de Mato Grosso, Rondônia, Acre, Amazonas, Roraima, sul do Pará e ainda exporta parte da produção.

Somente na indústria são cerca de 300 pessoas contratadas, fora a linha de vendas, que soma aproximadamente 200 pessoas em todo o Estado. As sementes, outra linha de atuação do Grupo Matsuda, são fabricadas na unidade de São Paulo e distribuídas em Mato Grosso.

As rações pet são fabricadas a partir do milho ou farelo de soja, produzidos no Estado e comercializados também para outros países da América Latina. A produção de suplementos é feita a partir de minerais, parte aqui de Mato Grosso, parte vindo de outras plantas industriais.

Imprensa:
Enviar matéria
Data de Publicação: 23/02/2017 às 15:40hs
Fonte: Diário de Cuiabá
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio © Copyright 2013 Portal do Agronegócio. Desenvolvido por: