Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

Mais de 1,6 mil cabeças de gado morrem com suspeita de botulismo

A Agência Estadual de Defesa Sanitária e Animal (Iagro), do Mato Grosso do Sul, confirmou a morte de mais de mil cabeças de gado nesta segunda feira (7), no município de Água Clara, a 200 km da capital Campo Grande. A principal suspeita é de os animais tenham contraído botulismo.

Informações obtidas pela Gazeta do Povo dão conta de mais de 1,6 mil animais já morreram. O caso aconteceu em uma única fazenda, quando os animais estavam confinados. Os bovinos estão sendo enterrados na propriedade e, até o momento, não há registro da doença em outras propriedades.

O caso está sendo avaliado pela Iagro com o apoio da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS), informa a fonte que passou as informações com exclusividade à Gazeta do Povo. A reportagem entrou em contato com o Laboratório de Anatomia Patológica da universidade, que se recusou a dar qualquer informação.

Botulismo bovino

O botulismo bovino é uma doença causada pela bactéria Clostridium botulinum, que libera por uma toxina neurológica. Segundo a fonte da Gazeta do Povo, a causa provável é a contaminação por meio de bolor ou mofo na ração animal. “Um descuido no preparo da alimentação [do gado]”, afirma.

Apesar disso, o especialista confirma que não há risco de transmissão de animal para animal, nem para humanos. “É como uma intoxicação alimentar comum”, explica. Neste caso, contudo, a intoxicação é severa, levando rapidamente o animal à morte. De acordo com a fonte, os casos aconteceram todos juntos por conta de terem inferido o mesmo alimento contaminado.

Em seres humanos, a intoxicação por botulismo também ocorre por meio de alimentos e pode levar à morte.

Imprensa:
Enviar matéria
Data de Publicação: 10/08/2017 às 18:10hs
Fonte: Gazeta do Povo
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio © Copyright 2013 Portal do Agronegócio. Desenvolvido por: