Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

Faturamento da De Heus deve somar R$ 270 milhões

A multinacional holandesa De Heus Nutrição Animal quer manter o crescimento alcançado nos últimos anos. Segundo o diretor-presidente da companhia no Brasil, Hermanus Wigman, a meta é ampliar em até 40% o faturamento em 2017 em relação a 2016, chegando a R$ 270 milhões.

Parte da estratégia da companhia consiste em investir R$ 31 milhões nas atividades no País. "Acho que ainda existe muito espaço para contribuirmos com a melhoria no rendimento nas propriedades", afirma o executivo. O grupo de capital holandês está no Brasil desde 2012. No período, a companhia teve um crescimento de 180%.

De acordo com Wigman, o próximo passo da companhia é a inauguração, no dia 20 deste mês, de uma granja experimental de suínos em parceria com a Universidade Federal de Londrina (UEL), no Paraná. A nova unidade recebeu investimento da ordem de R$ 250 mil.

"Nossa intenção é aprimorar as soluções que já oferecemos e buscar novas alternativas", conta Wigman. "Queremos trazer ao Brasil tecnologias já utilizadas no exterior e adaptá-las a realidade daqui, bem como desenvolver novas", salienta.

Este será o terceiro investimento relevante da companhia no Brasil neste ano. Em agosto, a De Heus inaugurou um laboratório de controle de qualidade, com aporte de cerca de R$ 5 milhões, em Rio Claro, no interior de São Paulo.

"O laboratório é uma peça-chave para nosso plano de expansão, porque nos permite garantir o processo de análise e prestar esse serviço a nossos clientes", avalia.

Até então, a empresa terceirizava essa atividade no mercado brasileiro, conforme explica o executivo. "Acredito que o principal benefício é que, quando você terceiriza um serviço, faz apenas o que é necessário. Agora, poderemos ir além e fazer intercâmbio de conhecimentos com as outras unidades da empresa no mundo", acrescenta o diretor-presidente De Heus.

No mês passado, a multinacional também inaugurou uma fábrica voltada para a produção de rações para suínos e aves. A planta, instalada na cidade de Toledo, no Paraná, recebeu investimento de aproximadamente R$ 25 milhões.

Wigman destaca que a nova fábrica está habilitada a produzir alimentos sem promotores de crescimento, com foco na saúde intestinal dos animais. "Essa é uma demanda que ainda não despontou entre os produtores no Brasil, mas que estamos preparados para atender quando surgir", complementa ele.

Hoje, o Brasil é um dos maiores produtores globais de frangos e suínos. No ano passado, cadeia produtiva brasileira produziu 12,9 milhões de toneladas de frango e 3,7 milhões de toneladas de suínos.

Imprensa:
Enviar matéria
Data de Publicação: 12/09/2017 às 18:00hs
Fonte: DCI
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio © Copyright 2013 Portal do Agronegócio. Desenvolvido por: