Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

Expansão do biodiesel no Brasil foi tema de audiência com ministro Fernando Coelho Filho

Com capacidade autorizada para produção de 7,2 bilhões de litros de biodiesel por ano, o país produziu cerca de 4 bilhões de litros em 2016 para atender a mistura obrigatória B7 (7% de biodiesel adicionado ao diesel fóssil).

Para diminuir a ociosidade da indústria, o setor vem defendendo o aumento da mistura obrigatória conforme já previsto na Lei 13.033/2014. Em março deste ano começa a valer o B8 (8% de biodiesel) em todo o território nacional e a expectativa é de que novos aumentos gradativos possam ocorrer com previsibilidade, diminuindo a necessidade de importação de diesel fóssil e ampliando o processamento de soja no país.

Durante o encontro, o ministro afirmou que vai dar o encaminhamento para viabilizar essa expansão.

Para o presidente do Conselho Superior da Ubrabio (União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene), Juan Diego Ferrés, o governo está ativo e articulado para promover o avanço da produção e uso do biodiesel.

“O novo governo herdou uma lei que prevê o incremento progressivo da mistura de biodiesel ao diesel e, com o RenovaBio, está retomando a análise para explorar da melhor forma as potencialidades do país: reduzindo a importação de óleo diesel fóssil e aproveitando os potenciais produtivos e de matérias-primas nacionais”, comentou Ferrés.

Já o presidente da Frente Parlamentar Mista do Biodiesel (FrenteBio), deputado federal Evandro Gussi (PV-SP), destacou a importância de uma visão de futuro e presente dos biocombustíveis, especialmente do biodiesel e do bioquerosene. “O que fica consolidada é a ideia de um programa cada vez mais previsível e eficiente para realmente garantir o protagonismo do Brasil em termos de energia renováve sustentável”, pontuou.

Também participaram da reunião, representando a Ubrabio: Irineu Boff (vice-presidente da Assuntos Tributários), Julio Valente Junior (vice-presidente de Assuntos Jurídicos), Marcos Boff (vice-presidente Técnico), Paulo Mendes (vice-presidente de Relações Associativas e Institucionais), Paulo Fuga (diretor de OGR – Óleos e Gorduras Residuais), José Wagner dos Santos (conselheiro fiscal), Mike Lu (representante de empresa associada), Donizete Tokarski (diretor superintendente) e Sergio Beltrão (diretor executivo); e representando o Ministério de Minas e Energia: o secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, Márcio Félix, e o diretor do departamento de Biocombustíveis, Miguel Ivan Lacerda.

Imprensa:
Enviar matéria
Data de Publicação: 16/01/2017 às 17:20hs
Fonte: Ubrabio
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio © Copyright 2013 Portal do Agronegócio. Desenvolvido por: