Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

Cresce a comercialização de orgânicos com incentivos do Governo

Alimento saudável, sem agrotóxicos e com garantia de qualidade. São produtos frescos, cultivados em hortas, indo direto para a mesa das famílias brasileiras. Essa é a ideia de agricultores familiares da região de Campo Grande (MS), que, preocupados com a saúde da população, investiram em agricultura orgânica e aumentaram suas produções, graças a incentivos de programas do Governo Federal, executados pela Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead).

A partir desse desejo de fornecer cada vez mais produtos orgânicos para a região, surgiu a ideia da Cooperativa dos Produtores Orgânicos da Agricultura Familiar de Campo Grande (Organocoop). “Na nossa Cooperativa, tudo é oriundo da agricultura familiar. Isso valoriza nosso trabalho e certifica que aquele produto tem qualidade”, garante Vanderlei Azambuja Fernandes, 47 anos, presidente da Organocoop.

Com o acesso ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) e ao Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), eles investiram em maquinários para facilitar o trabalho no campo, e passaram a comercializar por meio de chamadas públicas como a realizada, por exemplo, pela Central de Distribuição de Alimentos do estado e através de cotação para da Santa Casa - Associação Beneficente de Campo Grande.

A Organocoop atualmente conta com 48 associados, sendo 90% agricultores familiares. Vanderlei participa do Pnae e do PAA desde 2012. Outros associados também seguiram esse caminho e, em 2017, a Cooperativa contabiliza 11 produtores comercializando para os programas, sendo o único grupo de orgânicos da região de Campo Grande a participar. Essa iniciativa reflete diretamente na produção: antes, eram colhidas pela Organocoop cerca 3,2 mil toneladas de alimentos por ano e, após o acesso aos programas, a produção subiu para 4 mil.

Maria Aparecida Brito, de 45 anos, é uma associada que comercializa para os programas executados pela Sead. A agricultora investiu em sua propriedade com a compra de trator, roçadeiras e pulverizadora elétrica para dar conta de atender à demanda. “Antes eu vendia 12 caixas de banana na feira. Depois do PAA, tripliquei esse número. Isso me dá a oportunidade de produzir cada vez mais”, conta com orgulho.

Parcerias

Outro projeto de agricultura orgânica de Campo Grande é o Terra Benta, formado por um grupo de amigos, que tinha o anseio de trabalhar diariamente com a mão na terra. Para os idealizadores, a terra é sagrada e a natureza precisa ser respeitada. O projeto, que está há quase dois anos sendo desenvolvido, iniciou seus trabalhos através de uma pesquisa de campo com o consumidor final. A partir daí, nasceu a Terra Benta e, garantir alimentos sempre fresquinhos é a principal missão da fazenda.

A área de produção da propriedade foi pensada como estratégia para garantir, além da qualidade, agilidade e regularidade de entrega dos alimentos. “Tudo vem da terra. É originado por ela. O orgânico, nada mais é, do que o retorno às nossas origens”, diz um dos sócios da fazenda, Carlos Alberto Valle, 50 anos.

O agricultor explica que a fazenda possui oito mil metros quadrados de área, com plantio de 12 espécies de hortaliças orgânicas e que já conta com dez pontos de vendas da produção na cidade. O projeto está buscando parceria com os cooperados da Organocoop com o objetivo de comercializar os alimentos cultivados pelos agricultores familiares da Cooperativa. “Todos que estiverem credenciados, poderão ser nossos parceiros. Vamos firmar parceria com os agricultores, sendo mais um elo de comercialização deles, como também comprando parte de suas produções”, finaliza Carlos.

Imprensa:
Enviar matéria
Data de Publicação: 21/08/2017 às 18:40hs
Fonte: Assessoria de Comunicação Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio © Copyright 2013 Portal do Agronegócio. Desenvolvido por: