Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

Com produção agroecológica, agricultor aumenta a biodiversidade na sua propriedade

A palavra agroecologia está ganhando cada vez mais espaço na agricultura familiar. A saúde, a qualidade de vida e um produto mais valorizado têm incentivado os agricultores a deixarem produções convencionais e investirem na produção agroecológica. Mas os benefícios não param por aí. A produção livre de agrotóxico também ajuda na preservação da biodiversidade da localidade.

A plantação do agricultor familiar José dos Santos, de 36 anos, do município de São Sebastião (AL), ganhou o cantar dos pássaros e a presença de novos bichos, depois que deixou de lado o uso de agrotóxico. Ele conta que além de alegrar o seu dia de trabalho, os bichinhos também ajudam no combate às pragas, ao comerem alguns insetos que aparecem na plantação.

José ainda deixa claro que, com a produção agroecológica, ele está cuidando da saúde dele, dos consumidores e dos pássaros que marcam presença na propriedade. “É divertido trabalhar vendo os pássaros cantando. Isso é saudável para mim e para eles também. Te garanto que os insetos que os pássaros comerem, se nasceram aqui, não têm nada químico”, brinca José.

O agricultor passou a produzir de forma agroecológica incentivado pela Emater de Alagoas. “Antes eu trabalhava com o convencional. Trabalhava de qualquer jeito. A Patrícia me encontrou na feira e me convidou para participar de cursos sobre agroecologia”, lembra.

Patrícia Marques, a extensionista que incentivou José a mudar a maneira de cultivar os alimentos, explica que sempre aconselha os agricultores a produzirem de forma agroecológica. Para ela, a forma de produção conta muito no produto final e na qualidade de vida do próprio agricultor. “Ele vai trabalhar respeitando o meio ambiente e ele próprio. Além de plantar, eles também consomem esses alimentos. A agroecologia vem para conservar o ambiente e a saúde do agricultor e da família dele”, ressalta. Ela ainda afirma que é possível ver a mudança da qualidade da área de trabalho do José. “Aumentou a biodiversidade aqui. A área que ele trabalha voltou a ter vida”.

Cuidar da base da plantação e da diversidade de alimentos, que é o solo, também tem sido algo levado em consideração na escolha da migração para o agroecológico. Além disso, José passou a investir também na diversificação da produção. A plantação que era apenas de mamão e macaxeira, hoje tem alface, couve, cebolinha, entre outras hortaliças, além de diferentes frutas.

Benefícios financeiros

Os benefícios do cultivo de alimentos sem o uso de agrotóxicos vão desde a conservação do solo ao bolso do produtor. Com consumidores mais preocupados com a saúde, os produtos têm ganhado mais espaço no mercado. José afirma que a venda dos alimentos que ele produz aumentaram depois que ele mudou a forma de produzi-los. Patrícia, além de extensionista, também virou cliente e garante: “Quando vou comprar hortaliças, sempre vou atrás dos produtos dele”.

A extensionista explica que a produção agroecológica traz benefícios financeiros, não só na hora da venda, mas também no custo da produção, por conta do valor dos insumos utilizados. Ela afirma que incentiva os agricultores a usarem produtos naturais, que têm o mesmo efeito contra as pragas, tirados da própria propriedade. “Eles aprendem a respeitar o meio ambiente, a conhecer a plantação para não precisar usar produtos químicos. A gente aconselha produtos à base das próprias plantas”.

José ouviu os conselhos de Patrícia e não se arrepende. A horta é de encher os olhos e as expectativas do agricultor, que já pensa em aumentar a produção. A voz da experiência no campo também aconselha: “Deixe o convencional cheio de agrotóxico e trabalhe com o agroecológico. Isso vai te dar uma qualidade de vida muito melhor. É melhor para a família, melhor para o cliente e melhor para o comércio”.

A agricultura familiar e a produção sustentável

Segundo o coordenador geral de Agroecologia e Produção Sustentável da Secretaria Especial da Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead), Marco Pavarino, a agricultura familiar tem sido essencial na produção agroecológica. “A gente percebe que grande parte da produção agroecológica vem das propriedades familiares. Esse conjunto de sistemas produtivos mais sustentáveis, de uma diversidade de alimentos mostra que a agricultura familiar tem um papel fundamental para o desenvolvimento sustentável”, afirma.

Para auxiliar os agricultores familiares que queiram migrar para a produção agroecológica, o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), tem uma linha de crédito especifica para esse público. O Pronaf Agroecologia financia investimentos dos sistemas de produção agroecológicos ou orgânicos, incluindo custos relativos à implantação e manutenção do empreendimento.

Imprensa:
Enviar matéria
Data de Publicação: 29/05/2017 às 08:15hs
Fonte: Assessoria de Comunicação Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio © Copyright 2013 Portal do Agronegócio. Desenvolvido por: