Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

Com dados iniciais da colheita nos EUA, milho em Chicago segue em leve queda nesta 3ª feira (12)

A colheita do milho teve a largada neste final de semana e já com leve atraso, segundo o USDA, enquanto que os analistas prevêem que o próximo World Agricultural Supply and Demand Economics (WASDE) venha com números menores para a cultura nos Estados Unidos. Motivos para a leve queda na Bolsa de Chicago (CBOT) desde a madrugada desta terça (12).

Na passagem das 10hs, os painéis do CME Group mostravam o novembro perdendo 0,5 ponto, a US$ 3,45, o dezembro em menos 1,24, a US$ 3,56.

O Departamento de Agricultura dos EUA reportou que cerca de 5% da safra foi colhida a partir de domingo, logo atrás da média prévia de cinco anos de 6%. A colheita ainda não começou em em Iowa, mas os produtores em Illinois estão 2% finalizados com a colheita e em Indiana alcançaram 1%. O Texas está mais distante, juntamente com 58% de sua safra no lixo, indicou o portal Agriculture.

Ainda se mantém em cerca de 61% o indicador de que as lavouras estão em boas ou excelentes condição, inalterada da semana passada, mas bem abaixo da safra estelar de um ano atrás, quando 74% obtiveram classificações máximas.

Comerciantes e analistas estão procurando o USDA para reduzir sua estimativa para as culturas de milho e soja no relatório do WASDE. Os analistas classificaram a produção de milho em 14,035 bilhões de bushels com rendimentos de 168,2 bushels e acre, um pouco abaixo da estimativa de USDA de agosto de 14,153 bilhões de bushels e rendimentos de 169,5 bushels, de acordo com analistas citando as previsões da indústria.

BM&F Bovespa

Na bolsa de mercadorias de São Paulo, os futuros da commodity andavam dos dois lados por volta das 10h05, com o setembro positivo em 0,60%, a R$ 28,29, e o novembro em menos 0,14%, a R$ 29,48.

Imprensa:
Enviar matéria
Data de Publicação: 12/09/2017 às 11:00hs
Fonte: Notícias Agrícolas
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio © Copyright 2013 Portal do Agronegócio. Desenvolvido por: