Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

Arroz com edição genética produz até 31% mais grãos

Uma equipe de cientistas da Universidade de Purdue (EUA) e da Academia de Ciências da China utilizou genes com a tecnologia CRISPR/cas9 para desenvolver uma variedade de arroz que produz até 31% mais grãos. As descobertas foram publicadas na revista Proceedings of National Academy of Sciences.

A tecnologia CRISPR / cas9 permite que os criadores de plantas cortem partes do DNA de forma rápida e precisa a partir de uma sequência editando o código do material genético. Ray A. Bressan de Purdue, diretor do Departamento de Horticultura e professor de Arquitetura Paisagista, explica que essa técnica permite que sejam multiplicados múltiplos genes de uma só vez, lembrando que se esse desenvolvimento fosse feito por métodos tradicionais, seriam décadas de trabalho sem garantia de sucesso.

"Você não pode fazer mutações direcionadas como essa com o melhoramento de plantas tradicionais. Você faria mutações aleatórias e tentaria descartar aquelas que você não quer. Eu teria precisado de milhões de plantas. Basicamente, isso não é viável. Esta é uma conquista real que não poderia ter sido alcançada sem CRISPR.", explica.

Até agora foram utilizadas somente variedades de arroz comuns na pesquisa, contudo o próximo passo é tentar usar a tecnologia em algum tipo de arroz de elite, a fim de identificar se os resultados serão tão positivos quando os encontrados até agora. Jian-Kang Zhu, diretor do Shanghai Centro de Biologia de Plantas na Academia de Ciências da professora China, comemora os avanços do estudo e já projeta o futuro da pesquisa.

"Se isso é verdade para as variedades que os agricultores usam atualmente, esse grande aumento no rendimento seria muito importante. Ajudaria realmente a produzir mais grãos para alimentar mais pessoas', finaliza.

Imprensa:
Enviar matéria
Data de Publicação: 04/06/2018 às 14:40hs
Fonte: Agrolink
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio © Copyright 2013 Portal do Agronegócio. Desenvolvido por: