Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

Armazenagem de grãos no Brasil terá destaque no Congresso Brasileiro de Soja

Estrutura para armazenagem, transporte e recebimento de grãos

O Brasil tem capacidade para armazenar 160 das 230 milhões de toneladas de grãos produzidos na safra 2017/2018, o que revela uma defasagem em silos e armazéns. Somente a soja responde por 117 milhões de toneladas da produção brasileira. Para debater os vários aspectos que envolvem a armazenagem de grãos, a Embrapa Soja promoverá um debate sobre o tema durante o VIII Congresso Brasileiro de Soja, a ser promovido de 11 a 14 de junho, no Centro de Convenções de Goiânia. “Este ano, a defasagem na capacidade estática de armazenagem no Brasil foi amenizada, porque o valor da soja está competitivo e o produtor está comercializando mais rapidamente a produção. Este fato está facilitando o escoamento da safra e reduzindo o período de armazenagem”, avalia o pesquisador da Embrapa Soja, Irineu Lorini.

O painel sobre armazenagem contará com uma palestra sobre como o setor produtivo está utilizando a automação dos processos para otimizar a logística de armazenagem e garantir maior qualidade aos produtos. O tema será ministrado pelo representante da cooperativa Comigo, Paulo Carneiro Junqueira. Outra palestra será sobre o uso industrial da soja, que será ministrada pelo profissional da Caramuru, Rogerio Fernandes Balieiro.

Qualidade da soja - Durante o painel, também será apresentado um estudo da Embrapa Soja (PR), realizado junto ao setor produtivo, em que se acompanhou a qualidade da soja nas últimas três safras. Foram coletadas e avaliadas quase mil amostras nos diferentes estados brasileiros. “Esse monitoramento revela como algumas práticas de produção podem melhorar ou piorar a qualidade do grão e da semente comercializados. Conhecendo a fundo esses aspectos, podemos ajudar o Brasil a alcançar novos patamares de qualidade”, explica Irineu Lorini, pesquisador da Embrapa Soja.

O levantamento fornece subsídios importantes para a adoção de melhorias no processo produtivo e na armazenagem. Lorini explica que foram avaliados, por exemplo, os grãos avariados - soma de grãos mofados, ardidos, queimados, fermentados, imaturos, chochos, germinados e danificados por percevejo. A legislação brasileira determina, por exemplo, que o armazenador tolere até 8% de grãos avariados, mas há regiões brasileiras em que as amostras apresentaram até 30% de grãos avariados. “Esses casos representam prejuízo para o produtor, porque o armazenador pode descontar o percentual que estiver avariado, já que esse material tem baixa qualidade para a indústria”, avalia Lorini. “Portanto, ainda temos bastante a avançar”, explica.

Outro aspecto que chamou a atenção dos pesquisadores foi o índice de dano causado por percevejos nos grãos de soja. Há regiões em que as amostras variavam de 25% a 35% de grãos danificados pela praga. “Isso indica que é preciso investir mais no Manejo Integrado de Pragas nas lavouras de soja para reduzir esse índice”, avalia Lorini. “Também destaco como elevados os danos mecânicos e alguns defeitos dos grãos. Por isso, é preciso melhorar o manejo da colheita e do processamento para se obter redução nesses danos”, recomenda.

Teor de proteína - Com relação ao teor de proteínas da soja, a média nacional foi de 37% na safra 2016/17, com variação entre 32 a 41% nas microrregiões de cada estado. Quanto mais alto for o teor de proteínas nos grãos, tanto melhor será para a produção de farelos com teores de proteína mínimos exigidos pela legislação, atingindo-se até o ideal para a produção do farelo com alto teor de proteína. “Quanto maior o teor de proteínas nos grãos utilizados como matéria-prima para produzir farelos, tanto menores serão os processos utilizados pela indústria para se adequar aos padrões”, explica o pesquisador.

Informações e inscrições: www.cbsoja.com.br

Imprensa:
Enviar matéria
Data de Publicação: 30/05/2018 às 09:20hs
Fonte: Embrapa Soja
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio © Copyright 2013 Portal do Agronegócio. Desenvolvido por: