Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

Agrishare deve movimentar perto de R$ 3 mi na safra de soja em 2017/2018

A Agrishare, startup voltada para a contratação de serviços terceirizados no campo, pretende movimentar R$ 3 milhões somente na safra de soja 2017/2018, estima o diretor Paulo César Corigliano.

O volume representa um crescimento de 6% em relação ao ciclo passado, quando os primeiros contratos foram firmados entre produtores e prestadores de serviços rurais por meio da plataforma.

Os produtores que se dedicam à cultura de soja são os principais usuários da ferramenta dastartup, criada em 2016. Nela, as empresas cadastram as máquinas disponíveis – tratores, colheitadeiras, pulverizadores – e os produtores interessados contratam os itens que necessitam e também os operadores para atividades correspondentes, por exemplo, nas lavouras. Adicionalmente, o agricultor pode contratar apenas o maquinário, o que costuma acontecer no caso de tratores, mas a maior parte dos clientes opta pelo serviço completo, de acordo com a Agrishare.

Além de empresas especializadas, produtores que têm máquinas e equipes ociosas nas propriedades também oferecem os serviços por meio da plataforma. “Percebemos que existe uma tendência crescente da terceirização no agronegócio, especialmente entre os grandes grupos, que têm amplas áreas e estão optando por deixar de investir em máquinas para buscar os serviços terceirizados”, explica Corigliano. “Mas este também é um bom negócio para o pequeno produtor, que pode usar seu maquinário para ampliar a renda prestando esse serviço a outras propriedades”, avalia.

Os produtores de milho verão também se destacam entre os contratantes, relata Corigliano. A empresa conta inclusive com serviços de ensilagem para as lavouras de cana-de-açúcar e algodão. Os clientes pagam para Agrishare R$ 10 por cada hectare atendido, em um limite de R$ 6 mil. Em média, as propriedades atendidas têm 200 hectares ou mais e os serviços estão disponíveis em diversos estados.

Atualmente, a Agrishare conta com 900 máquinas em seu portfólio, sendo 60% delas colheitadeiras e um total de 350 prestadores de serviços cadastrados. “Estamos crescendo muito rápido. Começamos com 200 máquinas e queremos encerrar o ano com mil”, projeta o diretor.

Planejamento

Parte da estratégia para este crescimento está na oferta de novos produtos na safra 2017/2018. Além de intermediar a contratação, a startup vai oferecer o serviço de gerenciamento e consultoria de negócios. “Muitas empresas perdem contratos por não ter o número de máquinas necessárias para atender um produtor, que não quer contratar vários prestadores de serviço para uma determinada atividade. Com essa opção, nós seremos responsáveis por gerenciar essa contratação”, explica Corigliano. Nessa modalidade, as empresas pagam 6% do que faturarem em grupo com a prestação do serviço.

A Agrishare também planeja oferecer serviços de rastreamento e de seguro. “Estamos conversando com empresas do setor para buscar a forma ideal de oferecer estas alternativas”, diz Corigliano. A startup já conta com parceria com uma transportadora para levar as máquinas até as propriedades. “Nossa intenção é que esse prestador de serviços se sinta mais confortável para ampliar cada vez mais a oferta de máquinas por meio da plataforma”, pondera.

Imprensa:
Enviar matéria
Data de Publicação: 28/12/2017 às 07:40hs
Fonte: DCI
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio © Copyright 2013 Portal do Agronegócio. Desenvolvido por: