Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

AB Vista defende o uso de enzimas como uma ferramenta de modulação de flora intestinal

A população cresce exponencialmente nos mercados emergentes e até 2030, o número de pessoas habitando o planeta pode chegar a 8 bilhões. Com isso, a grande preocupação é a alimentação. Sabe-se que haverá um maior consumo de proteína animal, mas sabe-se também que essa população está cada vez mais inteirada dos acontecimentos no campo, e dessa maneira, mais exigente.

Para os anseios destas novas gerações, um novo estilo de vida está surgindo, focado em uma menor agressão ao meio ambiente. Esse é um dos grandes desafios para a produção animal, juntamente com novas legislações e mudanças regulatórias.

Essas mudanças já aconteceram em países da União Europeia e estão sendo estudados no Brasil, um dos próximos países a ter uma nova regulação de restrição ao uso de antibióticos como promotores de crescimento, mesmo que sem um aparo científico concreto.

Dessa maneira, a AB Vista está preparada para ajudar os criadores, com estratégias na modulação da flora intestinal, que determinará uma melhor transição para uma criação animal sem o uso de antibióticos como promotores de crescimento.

“Os antibióticos como promotores de crescimento foram utilizados por muitos anos, de forma controlada e gerou resultados importantes para a produção de proteína mundial. Porém os tempos são outros, temos um mercado consumidor que possui hoje outros anseios e devemos atendê-los com estratégias cada vez mais eficientes. Neste contexto, o uso de enzimas digestivas para redução de fatores antinutricionais é algo importante para a nutrologia intestinal dos animais”, revela Alexandre Brito, Gerente Técnico LAM da AB Vista.

Visando reduzir os impactos da retirada destes antibióticos, a AB Vista defende o uso de enzimas nos animais. Assim, há uma melhora no bem estar animal, bem como a digestibilidade, além de ter um melhor aproveitamento dos nutrientes.

“Com as enzimas, conseguimos ter uma melhor saúde digestiva, melhorando a qualidade de vida dos animais. Para aves e suínos, o uso da fitase traz resultados bem expressivos, como melhoria da eficiência de conversão alimentar e aumento da taxa de crescimento dos animais”, conclui Brito.

A AB Vista possui a fitase Quantum Blue, uma nova e revolucionária molécula, definida para proporcionar um melhor desempenho em aves e suínos. Sendo uma E.coli fitase, o Quantum Blue agrega mais valor para a indústria de alimentos para animais do que qualquer outra fitase comercialmente disponível. A enzima excede a capacidade das fitases antecessoras, permitindo maior liberação de fósforo, de forma mais consistente do que qualquer outra fitase comercialmente disponível. Quantum Blue, não é revestida, permitindo rápida liberação da enzima ativa no intestino do animal.

Para mais informações, visite o site: www.abvista.com

Imprensa:
Enviar matéria
Data de Publicação: 22/12/2017 às 07:40hs
Fonte: F2 Assessoria de Imprensa
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio © Copyright 2013 Portal do Agronegócio. Desenvolvido por: